Sustentabilidade na cozinha

Sustentabilidade na cozinha

Quando comecei a ganhar consciência que era imperativo diminuir o lixo que produzia no meu dia a dia, reparei que a cozinha era, sem dúvida, o local onde eu produzia uma maior quantidade de lixo.

Comecei com coisas pequenas, como evitar comprar legumes e frutas embalados em plástico e utilizar os meus próprios sacos para colocar estes alimentos – em vez de usar os saquinhos de plástico transparentes disponíveis nos supermercados. Infelizmente, nos supermercados perto de mim, as frutas e legumes orgânicos vêm, na sua maioria, embalados em plástico – o que, na minha opinião, torna uma ida ao supermercado bastante frustrante. Por esse motivo, comecei a ir cada vez mais ao mercado local, onde consigo encontrar frutas e legumes frescos, desplastificados e, muitas vezes, orgânicos e locais – o que contribui para uma menor pegada ecológica.

O próximo passo foi tentar encontrar uma loja que vendesse produtos a granel perto de mim. Felizmente, encontrei uma numa localidade perto de mim e comecei a tentar deslocar-me a esta loja principalmente para comprar chás, massas, cereais e leguminosas que, na maioria das vezes, são produtos que vêm embalados em materiais plásticos.

Também decidi começar a dedicar-me mais a criar as minhas comidas preferidas, em vez de as comprar pré-feitas. Esta medida ajudou-me não só a diminuir a quantidade de lixo que produzo na cozinha, mas também a preparar refeições mais nutritivas, sem aditivos, em que sei exactamente o que estou a consumir.

Deixo-vos com dois dos petiscos que comecei a criar no meu dia-a-dia, para inspiração. São receitas fáceis de executar e também de se adaptar ao vosso gosto. Bom proveito!

HÚMUS

Infelizmente, só descobri esta iguaria do Médio Oriente há poucos anos atrás, quando comecei a procurar alternativas para rechear as minhas sandes. Todas as semanas acabava por comprar duas embalagens de húmus – plástico, pois claro. Decidi então começar a fazer o meu próprio húmus… tão fácil e ainda melhor do que se compra no supermercado pois podemos alterar os ingredientes a nosso gosto!

Os ingredientes-base da receita original são:

  • Grão-de-bico cozido
  • Alho
  • Pasta de sementes de sésamo (tahini)
  • Azeite
  • Sal
  • Cominhos em pó
  • Água – para uma consistência mais ou menos espessa

Depois de triturar os ingredientes, adiciona-se um fio de azeite e conserva-se no frigorífico. A beleza de fazer o nosso próprio húmus está em poder variar a receita original a nosso gosto, com batata doce ou pimentos assados, abóbora, espinafres, beterraba… Enfim, a imaginação é o limite.

HAMBÚRGUERES DE FEIJÃO

A versatilidade de poder fazer hambúrgueres com qualquer tipo de feijão e legumes que tiver na dispensa é incrível.

Desta vez, usei os seguintes ingredientes:

  • Feijão vermelho cozido
  • Couve
  • Sal
  • Paprika
  • Alho

Depois de triturar os ingredientes, utilizo sementes de chia para que a massa do hambúrguer fique mais coesa – estas sementes tornam-se num gel quando em contacto com a água durante alguns minutos. Depois de misturar bem e dar a forma pretendida, fritei por alguns minutos. Se fizer em maiores quantidades, posso congelar e colocar no forno ou fritar num dia em em precise de uma refeição rápida.

Até breve!

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *