Os 5 R’s

Os 5 R’s

Chegámos a um ponto em que o tratamento de resíduos a nível mundial não é sustentável. A mentalidade consumista da sociedade actual levou a um aumento desenfreado da produção de resíduos. Além disso, dada a sua conveniência, os produtos descartáveis têm sido os nossos preferidos durante anos a fio. Algumas fontes sugerem que todos os anos, são produzidos mais de 2 bilhões de toneladas de lixo. A maioria do lixo produzido acaba em aterros sanitários e, nos oceanos já existem cinco zonas onde as correntes formam autênticas ilhas de plástico – podes ler mais sobre este tema aqui.

Tendo tudo isto em conta, é imperativo começar a mudar os nossos hábitos e educar as populações a gerir melhor os resíduos que produzem.

O primeiro passo para conseguirmos produzir menos lixo é tentar perceber que tipo de resíduos  produzimos e tentar encontrar alternativas mais ecológicas. Claro que cabe a cada um de nós decidir quais são as alternativas que mais se adaptam ao nosso estilo de vida. Cada um de nós terá diferentes fatores condicionantes para as suas escolhas – desde o tempo disponível, até a recursos económicos ou mesmo fatores geográficos. O importante é perceber que os nossos pequenos passos podem ter um impacto gigante no nosso planeta, que o importante é começar!

O modelo dos 5r’s é excelente para nos ajudar a reduzir a quantidade de resíduos que produzimos diariamente e também para lhes dar a finalidade o mais ecológica possível.

  1. Recusar (Refuse): Não aceitar coisas de que não precisamos é crucial. Aprender a dizer não pode ser difícil no início mas, será que faz sentido aceitar algo que provavelmente vai para o lixo quando chegarmos a casa? Desde panfletos ou revistas grátis, a palhinhas e sacos de plástico ou mesmo as palhetas oferecidas para mexer o açúcar do café. Porque não pedir uma colher de metal ou levar a tua palhinha reutilizável contigo? Em vez de aceitar aquilo que nos dão gratuitamente ou a preços baixos, devemos olhar para cada item com sentido crítico e avaliar a sua verdadeira utilidade para nós.
  2. Reduzir (Reduce):Ponderar bem aquilo que compramos é importante de modo a apenas adquirirmos produtos de que realmente precisamos. Algumas fontes sugerem que cerca de metade dos produtos que se compram, acabam por ser deitados fora em menos de 6 meses.No caso de peças de vestuário por exemplo, podemos pensar se aquilo que queremos comprar é, ou não, uma peça de substituição ou se é algo que vamos usar regularmente. Se a resposta a estas duas perguntas for negativa, talvez seja importante repensar a compra. Outra dica é fazer uma lista daquilo que queremos comprar e voltar a olhar para ela algumas semanas depois. Se durante esse tempo não precisámos ou pensámos em algum dos artigos que escrevemos na lista, talvez não tenha utilidade para nós. Para mais dicas de como reduzir o desperdício podes ler este ou este post.
  3. Reutilizar (Reuse): A imaginação é nossa amiga! Podemos dar uma nova vida ou outra utilidade a várias coisas em nossa casa, em vez de as deitar fora imediatamente. Frascos de vidro são os meus favoritos – servem para guardar produtos que compramos a vulso ou em grande quantidade nas nossas cozinhas como lentilhas, feijões, arroz ou frutos secos. Os plásticos em que vêm acondicionados alguns produtos como pão de forma, podem ser reutilizados para embrulhar sandes ou snacks quando precisamos de levar comida conosco. Se tens revistas, jornais ou panfletos porque não usá-los para embrulhar uma prenda que queres oferecer a alguém? Roupas ou toalhas que chegam ao fim da sua vida útil e que, por esse motivo, não podem ser doadas ou vendidas, podem ser transformadas em panos de limpeza – se forem de algodão, ainda melhor! Partilha connosco as tuas dicas de como dar outra vida a diferentes materiais, em vez de os deitar logo fora!
  4. Reciclar (Recycle): Na verdade ter uma vida completamente livre de lixo pode ser complicado e difícil de alcançar para muitos de nós. No entanto, tudo aquilo que não conseguimos deixar de adquirir e não conseguimos reutilizar deve ser colocado no ecoponto próprio, para que seja – esperamos nós – reciclado. 
  5. Compostar (Rot): Algo que só aprendi há bastante pouco tempo foi o impacto negativo de colocar materiais orgânicos no lixo comum. Na verdade, a decomposição de material orgânico em aterros vai levar à produção de metano, um dos principais agentes causadores do efeito de estufa. Além disso, a compostagem de matéria orgânica vai permitir que os seus minerais e nutrientes voltem a entrar no solo, atuando como um fertilizante natural. No meu caso, os meus resíduos orgânicos são recolhidos semanalmente pelo município onde vivo. Cada um de nós pode, no entanto, explorar quais são as melhores opções para a sua situação mas é importante que evitemos de todo colocar matéria orgânica no lixo comum!

 

Aproveita o desafio Plastic Free July para começares a reduzir não só o plástico que usas, mas também a tua pegada ecológica no geral. E se já começaste a mudar os teus hábitos de consumo como eu, não deixes de explorar opções para um estilo de vida ainda mais sustentável. E espalha a mensagem – juntos vamos conseguir salvar o planeta de nós próprios.

Joana

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *