O impacto do óleo de palma

O impacto do óleo de palma

O óleo de palma é um óleo vegetal obtido a partir do fruto da Palmeira-de-óleo-africana que cresce sobretudo em zonas tropicais do planeta e tem sido utilizado na cozinha desde os primórdios da civilização.

As suas propriedades químicas, o baixo custo de produção e transformação tornaram o óleo de palma no óleo vegetal mais produzido no mundo, sobretudo após a revolução industrial.

Hoje em dia podemos encontrar o óleo de palma como componente de combustíveis, lubrificantes, cosméticos, detergentes e em mais de metade dos produtos alimentares embalados, à venda nos supermercados.

Com o aumento da procura deste recurso natural, as plantações da palmeira têm vindo a crescer exponencialmente substituindo de forma irreparável florestas tropicais que são habitat de mais de 300.000 espécies de animais em risco, e com consequências devastadoras para o ambiente e para as populações indígenas.

Sob o argumento de mais postos de trabalho, as grandes empresas exploram adultos e crianças com condições de trabalho miseráveis e baixos salários.

Em 2004, em resposta aos apelos de várias organizações de protecção do ambiente, como a WWF, foi criada a Mesa Redonda de Óleo de Palma Sustentável (RSPO) composta por representantes de produtores de óleo de palma, comerciantes e grupos ambientais. Esta organização delineou uma série de princípios e regras para uma produção sustentável de óleo de palma que respeite o ambiente, a vida selvagem e as populações indígenas. Estas regras são consideradas por muitos ainda insuficientes, mas em 2011, cerca de 40% dos produtores de óleo de palma já tinham aderido à organização.

 

FACTOS

  • 90% da vida selvagem desaparece quando uma floresta é substituída por palmeiras, criando um deserto biológico.
  • 98% das florestas da Indonésia poderão desaparecer até 2022, de acordo com as Nações Unidas.
  • 90% da população de Orangotangos da Sumatra desapareceu desde 1900. Estão agora à beira da extinção.

Este vídeo mostra um orangotango a tentar parar uma retroescavadora que destrói seu habitat.

De que forma podemos reduzir a nossa cota de participação na destruição destes habitats?

Podemos não cozinhar com óleo de palma, mas consumimos certamente produtos que contêm este ingrediente “invisível”. Infelizmente, produtos alimentares como chocolates, gelados, pizzas, noodles, pão fatiado ou bolachas e produtos de higiene e cosmética, como sabões, champôs e batons, não dispensam as propriedades do óleo de palma.

Mesmo um olhar mais atento pelos rótulos pode não ser suficiente. As empresas não são obrigadas a identificar o tipo de óleo vegetal utilizado na confeção do produto pelo que muitas vezes referem apenas o termo geral, “óleo vegetal”.

Ainda assim, onde possível podemos:

  • Optar por produtos que utilizem outros tipos de óleo vegetal como óleos de soja ou de girassol
  • Procurar nos nossos produtos favoritos o certificado de “produção sustentável de óleo de palma”
  • USA a TUA VOZ – contactar as empresas dos teus produtos favoritos e pressioná-los para que optem por uma produção sustentável de óleo de palma
  • Apoiar como pudermos as organizações protectoras do ambiente

 

Bruno

 

 

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *