As abelhas e nós: Parte I

Afinal, qual é a importância das abelhas no meio ambiente?
Qual é o impacto do seu declínio nos ecosistemas? E para o Homem, em particular?
Porque estão as populações destes insetos em declínio?
O que podemos nós fazer?

É um tema complexo e por esse motivo decidimos dividir este artigo:
Parte I: Importância das abelhas;
Parte II: Motivos do declínio das abelhas e possíveis soluções.

PARTE I: A IMPORTÂNCIA DAS ABELHAS

Polinização

Grande parte da influência das abelhas nos ecosistemas tem origem no seu importante papel como polinizadores.
Algumas plantas precisam de polinização cruzada para se reproduzirem. Isto significa que é necessário haver transporte de grãos de pólen das anteras (parte masculina da flor) para o estigma (parte feminina). Estima-se que, a nível mundial, cerca de 30% das culturas agrícolas e 90% das todas as plantas necessitem de polinização cruzada para prosperarem (saber mais).
Apesar do agente principal da polinização cruzada ser o vento, seres vivos como insetos e pássaros têm um papel bastante importante neste transporte. Em Portugal, existem mais de 1000 espécies de insetos polinizadores, entre abelhas, abelhões, vespas, moscas, borboletas, escaravelhos e formigas (saber mais). A maior parte das plantas com flor precisa da ajuda de insetos para se reproduzirem, o que inclui não só plantas dos ecossistemas naturais mas também de culturas agrícolas.

Photo by Ivandrei Pretorius from Pexels

Um dos mais importantes polinizadores são as abelhas, responsáveis por cerca de 80% de toda a polinização feita por insetos.

Na sua procura por néctar, as abelhas voam de flor em flor deixando para trás grãos de pólen, assistindo assim a polinização cruzada.
Mais desconhecido é o facto das abelhas terem um papel muito importante na polinização cruzada de culturas agrícolas por isso, o seu poder de polinização, tem um forte impacto nos alimentos disponíveis para nosso consumo (saber mais). Estima-se que um terço da produção mundial de alimentos esteja dependente do poder de polinização das abelhas (saber mais).
Alimentos como o abacate, soja, espargos, bróculos, aipo, abóbora, pepinos, citrinos, pêssegos, cerejas e melões são só alguns exemplos de frutos e vegetais que precisam de polinização cruzada e, consequentemente, dependem de polinizadores como as abelhas para se reproduzirem (saber mais).
Mesmo culturas agrícolas que não são polinizadas por abelhas, beneficiam das mesmas devido à biodiversidade que as abelhas promover que, por sua vez, estimula o crescimento das culturas agrícolas.
Frutas deformadas podem ser explicadas, muitas vezes, pelo facto de apenas um lado da flor ter sido visitada por insetos polinizadores. Infelizmente, frutas e vegetais deformados são mais difíceis de escoar, levando a desperdícios alimentares. A planta investe mais energia nas flores que foram polinizadas, sendo que a fruta que nasce destas flores têm um superior valor nutricional (saber mais).
Os insetos polinizadores têm também um papel crucial na produção de algodão e linho.

Fonte de alimentação

As abelhas produzem mel para alimentar as suas colónias durante os meses mais frios. Uma abelha visita até 7 mil flores por dia e necessita de visitar cerca de 4 milhões de flores para produzir 1 kg de mel. O mel das abelhas também é uma importante fonte de alimentação para outros animais como aves, insetos e alguns mamíferos.
As próprias abelhas são também fonte de alimentação para algumas aves e outros insetos.

Photo by Ion Ceban @ionelceban from Pexels

Habitats selvagens

Através da polinização, as abelhas são vitais para o crescimentos de vários habitats, nomeadamente florestas tropicais, savanas e florestas. Até os nossos próprios jardins são casa para centenas de criaturas, desde aves, a pequenos mamíferos e uns tantos insetos. Se insetos polinizadores como as abelhas desaparecessem, os animais que dependem destas plantas para sobreviver, deixavam de existir também.
Além disso, a polinização é também de enorme importância para a vida selvagem já que as abelhas são responsáveis pela germinação de várias sementes, frutos secos, bagas e frutos que servem de fonte de alimentação para animais selvagens.

Biodiversidade

Tendo em conta os pontos acima descritos, é fácil entender de que modo as abelhas têm um papel crucial em vários ecosistemas: elas contribuem para o crescimento de árvores, flores e outras plantas, que são fontes de alimentação e formas de abrigo a outros seres vivos. As abelhas contribuem para o funcionamento de complexos ecosistemas e permitem a co-existência de vários outros seres vivos!

Photo by Karol Wiśniewski from Pexels

As abelhas são vitais para a preservação do balanço ecológico e biodiversidade. Através da polinização, protegem e mantêm os ecosistemas e contribuem para a diversidade genética e biótica: sem elas, os nossos jardins não seriam tão floridos e a quantidade de alimentos disponíveis era menor.

No entanto, os números de insetos, incluindo insetos polinizadores como as abelhas, estão a diminuir drasticamente a nível global (saber mais). Tendo em conta o que descrevemos acima, facilmente se conclui que este declínio pode ter drásticas consequências.

Photo by ALAMEEN A-DAE from Pexels

Na segunda parte deste artigo vamos explorar os motivos pelos quais se as populaçoes destes insetos estão em declínio e se existe alguma coisa que podemos fazer.

Até breve!