Alternativas às cápsulas de café descartáveis

As cápsulas de café foram inventadas em 1976, por Eric Favre, um trabalhador da Nestlé® e o primeiro presidente da Nespresso. Inicialmente, a descoberta não causou grande impacto mas, no arranque do ano 2000, com a associação a conhecidas empresas de máquinas de café e a abertura de lojas específicas da marca Nespresso, as vendas dispararam. O sistema revolucionou o modo de confeção de café em casa. A forma prática, rápida e fácil de confeção e limpeza; a garantia de perservação do aroma em cápsulas hermeticamente fechadas e a consistência obtida na qualidade do produto final conquistou o público e as cápsulas tornaram-se um sucesso generalizado.

As máquinas de café, mais pequenas e atrativas, de fácil manutenção e utilização contrastavam com os modelos já existentes no mercado. Com o passar do tempo, surgiram diferentes receitas, cafés com aromas, cafés de proveniências diferentes, capuccinos, mokkas e outras especialidades que vão para alem do espresso original e chegam, hoje em dia, até aos chás em cápsulas compatíveis com as máquinas de café. O mercado deixou, em 2012, de ser exclusivo à Nespresso e surgiram outras marcas populares, inclusive marcas brancas de lojas comerciais cujas cápsulas são compatíveis com as máquinas de café.

Estima-se que a partir de 2010 as vendas da Nespresso tenham crescido, em média, cerca de 30%  por ano; e em 2018 cerca de 60 bilhões de unidades tenham sido vendidas.

Este aumento levantou um sério problema ambiental. As cápsulas, compostas de alumínio ou plástico são de difícil reciclagem e terminam, na sua maioria, em lixeiras.

Em 2016 a cidade alemã de Hamburgo baniu a utilização de cápsulas de café nos edifícios do estado, por razões ambientais.

“Não interessa o que possam dizer sobre a reciclagem, aquelas coisas (cápsulas de café) nunca serão recicláveis. O plástico é especializado, composto de quatro camadas.”
John Sylva; criador da K-Cup – cápsulas vendidas na América do Norte, num sistema semelhante à Nespresso.

Alternativas Sustentáveis

A crescente preocupação ambiental levou à criação de vários programas de recolha e “reciclagem” das cápsulas criados pelas próprias marcas, mas a sua eficácia ainda é reduzida. Com a abertura do mercado, surgiram alternativas às cápsulas tradicionais que continuam a ser compatíveis com as máquinas de café e oferecem opções mais ecológicas. Aqui ficam algumas:

Cápsulas reutilizáveis

As capsulas reutilizáveis são compatíveis com as máquinas existentes no mercado e podem ser lavadas e preenchidas de novo com café após cada utilização (vídeo sobre como funcionam aqui).

Existem cápsulas reutilizáveis de plástico cujos kits, que normalmente incluem medidor e mais do que uma cápsula reutilizável,  rondam os 10 euros. A maioria das marcas anuncia capacidade para mais de 100 tiragens com a mesma cápsula. Existem várias marcas disponíveis no mercado e por vezes encontram-se em grandes superfícies comerciais incluindo algumas lojas Worten.

Existem também cápsulas reutilizáveis de inox que, apesar de serem mais caras, têm a vantagem de não precisarem de ser substituídas. Existem várias disponíveis no mercado, como as Seal Pod ou as Waycap. 

As duas opções são ambientalmente mais sustentáveis que as cápsulas descartáveis de café. No entanto tanto em termos de custo como em termos de sustentabilidade, as cápsulas reutilizáveis de inox fazem mais sentido pois apenas precisam de ser adquiridas uma vez, já que podem ser reutilizáveis indefinidamente.

Algumas pessoas podem considerar o preço das cápsulas reutilizáveis um ponto contra a sua utilização. No entanto, a longo prazo, o preço será mais baixo, principalmente se o café escolhido também for em conta e se fizermos um investimento único nas cápsulas de inox.

Outros factores que podem ser considerados como desvantagens, em comparaçã0 às cápsulas descartáveis são o tempo de confeção e o risco de infiltração que, no caso das cápsulas de plástico, pode aumentar com a utilização. A qualidade do café também depende mais da “mão” do utilizador, nomeadamente a qualidade do café escolhido, a dose e frescura. Este ponto que pode ser considerado negativo por alguns pode ser, para outros, um ponto positivo já que muitas pessoas terão gosto em ter a liberdade de escolher o tipo de café utilizado. 

Cápsulas biodegradáveis

São cápsulas sem alumínio, normalmente de cartão, totalmente compostáveis. A oferta no mercado é mais reduzida, quando comparadas com as reutilizáveis, mas os preços não são muito diferentes.
No Reino Unido, Eden Project ou Must, são marcas que disponibilizam cerca de 60-100 cápsulas por 20 a 30 libras. Na Amazon.es encontram-se da marca  Novell, com 40 cápsulas com café, compatíveis com Nespresso, totalmente compostaveis por 13,20€ (0,33€ a cápsula).

Claro que é importante investigar quais são os materiais utilizados e em que condições os materiais são biodegradáveis, para evitar surpresas desagradáveis. No caso das cápsulas Eden Project, por exemplo, elas são feitas com recurso a cartão e as tintas utilizadas têm base vegetal, fazendo com que as cápsulas sejam recicláveis mas, mais importante que serem recicláveis, os materiais permitem que as cápsulas se degradem totalmente em compostores domésticos.

A vantagem destas cápsulas relativamente às reutilizáveis de inox é que as cápsulas estão prontas a utilizar, reduzindo o tempo de preparação. No entanto, acaba por se gerar desperdício, nomeadamente se as cápsulas forem colocadas no contentor da reciclagem, em vez de se recorrer à compostagem.

Máquinas “Bean-to-Cup”

Neste caso não se trata de uma alternativa às cápsulas per se, mas um retorno à clássica moagem de café in loco. As máquinas Bean-to-Cup são o passo seguinte às tradicionais máquinas de café que oferecem a frescura que os especialistas mais apreciam, pois este é obtido imediatamente após a moagem e não perde, assim, as suas qualidades, garantindo já alguma consistência no sabor e reduzindo a influência  de factores externos.

Estas máquinas já são esteticamente mais agradáveis e compactas do que as máquinas de café tradicionais, mas ainda assim continuam a precisar de mais espaço. O preço também é um factor a ter em conta, com preços acima dos 300€, embora a longo prazo com o custo das cápsulas possa ser vantajoso.

Resumindo, é uma máquina para os verdadeiros apreciadores de café.

Existem alternativas que combinam com todos os gostos, estilos de vida e orçamentos. O importanto é afastarmo-nos de tudo o que é descartável – sejam cápsulas de café, sejam garrafas de plástico, ou outro objecto qualquer.
Se queremos que os nossos filhos tenham possibilidade de ver o mundo como o conhecemos hoje, é imperativo adaptar os nossos hábitos. E mesmo se for um bocadinho menos conveniente ou se demorar uns minutos extra até chegar ao resultado final – é por uma boa causa, não acham?

Até breve!

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *